23 maio 2005

No início era o verbo...

Nunca houve no passado grande aptência para partilhar o que quer que fosse com livrinhos, vulgo diários. A culpa até poderia ser das capas com fotos de meninas e meninos de ar melancólico por isso optava-se por cadernos de papel reciclado, mas não. Nada, népia, quedavam-se alvos e virgens e acabavam eventualmente a servir de livro de receitas.
A sensação de nada ter a dizer aliada à preguiça é uma combinação terrível. E saltar de blog em blog, cada um mais inspirado do que o outro, não ajuda nadinha. "Fica quieta, que para botar má figura já basta o que para aí anda!"
Mas e depois?... passar por cá sem asneirar/argolar, enfim, errar! é como só comer mousse de chocolate sem ter passado pelo óleo de fígado de bacalhau!
Vamos escrever o que nos der na gana, quando nos der na gana, tentando não ceder à preguiça e à auto-censura.
São 21.08 e está tudo bem.

2 comentários:

Rosmaninho disse...

És linda! Como sempre! Continua, já sou fã. Beijos

Dáry disse...

Bora lá, mana! Estou contigo! Nunca nos falhes!