14 dezembro 2006

Folclore

(Inclinada à janela, o peito a querer saltar do decote XXL, berra para o fedelho tresmalhado há horas na rua:)
- "Felhipe"! Anda p'ra casa, sê filhadaputa!
(Joelhos esfolados, sapatilhas rebentadas por horas de futebol, farto de ouvir o mesmo chamamento a cada cinco minutos:)
- Já vou, Mãe!

8 comentários:

Uxka disse...

Maria, minha linda, não consigo comentar na tua casa, pelo que aqui vai, referente às prendas:

"Apesar de detestar a época gosto de dar presentes, é estupidamente gratificante, bom, bom, bom!
E sou como tu com os embrulhos: NINGUÉM EMBRULHA AS MINHAS PRENDAS! Este ano vou apostar no papel de jornal atado com fita vermelha de ráfia, gosto do contraste e é eco-correcto ;)
Beijinhos, linda."
PS... não me falem em beta que se me arrepiam os pêlos todos!

Miguel disse...

LOL ...!

Bjks da Matilde e Cª!

Hélder disse...

Também eu fui censurado por essa megera...

Obrigado pelas dicas. Eu vejo-me pouco ao espelho e lavo-me ainda menos... O sangue já estava seco.
A foto é da "ribeirinha", um curso de água junto a Póvoa de Rio de Moinhos, Castelo Branco.

Quanto ao teu Post, se é a mãe que o diz quem somos nós para a contrariar... Também já vi um pai chamar ao filho "Sê filho dum corno". Há que elogiar este sentido de auto-crítica...

Anónimo disse...

Papel de jornal... hum... interessante...

:P

Acho que o beta já está bom. Como é que eu sei isso? Porque já consigo comentar nos outros blogs.

Hoje tenho um video tão fofo... acho que ias [e vais] gostar. Passa por lá.

beijinhos

re21 disse...

He!he!, boa.

Uxka disse...

Helder, essa tb é de mestre!

Maria, assim sendo p beta tá perdoado.

Nazareno, esta podia bem acontecer aí, até parece que estou a ver...

Beijos, pessoal.

Tyler Durden disse...

Ok, não sei se isso é uma anedota, mas ouvi cenas semelhantes dias seguidos. Num bairro muito popular cá de Lisboa (e não revelo mais pormenores...):

- "Come a sopa, caralho! Já te disse para comeres a sopa, caralhooooooo!!!!"

- "ó Miguel, não estás a ouvir a tua avó?..."

Outro:

- "Adeus, ó meu granda paneleiro", diz alguém lá de cima da janela.

- "Adeus avó!!!", diz uma voz meiga e doce lá de baixo com cerca de 4 anos...

E pronto, é isto. E isto é verídico. :)

Uxka disse...

Tyler, é o que eu digo! É folclore puro e duro!