06 junho 2007

Cinzeiro partido no canto...

...não se vê, mas é verdade. Que seria de nós se tudo o que é verdade se visse.

7 comentários:

Maria disse...

A verdade é para se ver... sempre.

diefe disse...

Que tal fazermos uma "corrente" de malta que tenha um cinzeiro desses?!... vou pôr o meu!:)

fugidia disse...

:-)
Eu tenho necessidade de que, pelo menos, um pedacito de mim só de mim seja conhecido. Não é uma questão de mentira; é uma questão de reserva, que favorece algum equilíbrio...

Erecteu disse...

Seria como andar nu?

Uxka disse...

Maria, concordo em teoria. Porque ma prática há aquela percentagem mais ou menos pequena dependendo do ente, que, por uma razão ou por outra, nunca é exposta. Pelo menos falo por mim... não por ti, ó livro aberto!

Mana, eu sei que não se deve guardar tralha partida etc, mas não tenho coragem de mandar este fora. Posta, posta...

Fugidia, isso :)

Erecteu, trigo limpo, farinha amparo! E eu, pelo que me toca, não tenho "querpinho bênfêto" para andar por aí ao léu... mas admiro quem anda.

Beijinhos para todos e bom domingo, dia do senhor.

Joanie Bats disse...

Benditas as verdades escondidas porque nunca se tornam mentiras. :*

Uxka disse...

joanie, na mouche, as always!
X